Home
sábado, 22  de setembro de 2007|  Adicionar aos Favoritos  |   Indique a um Amigo        
Foto
AjudeSou ContraCuriosidadesContate-nos
   Quem Somos
   Parceiros
   Reuniões e Eventos
   Contate-nos
Ajude
   Adote um Animal
   Abaixo-Assinados
   Castração
   Denuncie
   Doações para o Abrigo
   Posse Responsável
   Procura Animal Perdido
   Seja Voluntário
Sou Contra
   Animais em Circo
   Atrocidades
   Carroças Tração Animal
   Leishmaniose
   Pesquisas com Animais
   Rodeios
   Rotulagem Animal
   Touradas
Curiosidades
   Dicas e Orientações
   Divertidos
   Emocionantes
   Punições
   Sites/Links
 

 Forum >> Carroças Tração Animal >> Prefeito Fogaça promete FIM DAS CARROÇAS em Porto Alegre
Prefeito Fogaça promete FIM DAS CARROÇAS em Porto AlegreResponder sobre Prefeito Fogaça promete FIM DAS CARROÇAS em Porto Alegre
Administrador AB
24/2/2007
Prefeito Fogaça promete posicionamente sobre FIM DAS CARROÇAS em Porto Alegre/RS até março de 2007

CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, DOMINGO, 4 DE FEVEREIRO DE 2007
Proposta é retirar a tração animal em 8 anos


Os vereadores Sebastião Melo e Adeli Sell representam, na Câmara Municipal de Porto Alegre, a proposta de promover o fim gradativo da presença das carroças no Centro em oito anos e a instalação, em projeto piloto, de contêineres para a coleta seletiva do lixo. A iniciativa, de autoria de Melo, já chegou ao prefeito José Fogaça, que prometeu se posicionar até março sobre o assunto. Os vereadores aguardam a afirmação de que a prefeitura garantirá renda e trabalho a carroceiros e carrinheiros. Adeli Sell disse que a situação atual é incompatível com o trânsito, com os animais e com os próprios trabalhadores. 'Ou solucionamos o problema, ou afundaremos com ele', lamenta.

Entidades de proteção animal, como o movimento Carroças Têm Solução, acusam que muitos catadores maltratam os cavalos. O diretor de Trânsito e Circulação da EPTC, José Govinatzki, ressaltou que a EPTC tem recolhido cavalos, dado tratamento e leiloado para pessoas que se comprometem a cuidar dos mesmos. Segundo Govinatzki, outro problema é que muitos carroceiros não respeitam a lei de trânsito.

Um dos coordenadores do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Alex Cardoso, disse que o problema está nos carroceiros que não são filiados. 'Do total de 8 mil que circulam em Porto Alegre, apenas 1,2 mil estão organizados', apontou. O diretor do Hospital das Clínicas Veterinárias da Ufrgs, professor Carlos Afonso Beck, contou que atende freqüentemente animais de carroceiros. No mínimo, três cavalos por dia. 'Geralmente quem procura é quem não maltrata', apontou.


Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil

CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, DOMINGO, 4 DE FEVEREIRO DE 2007
Há alternativa para os carroceiros
Poderiam operar junto aos 14 centros de coleta de lixo dos bairros, segundo estudo da prefeitura


07HA9ALT.jpgOs 8 mil carroceiros recolhem 60 toneladas por dia
 
 

Maurício Boff

A prefeitura de Porto Alegre deverá apresentar nos próximos dias as linhas gerais de um plano alternativo para carroceiros e carrinheiros (catadores com carrinhos de mão) que recolhem lixo seco na cidade. O Executivo não revelou o conteúdo da ação, mas reuniões freqüentes têm ocorrido entre um grupo de trabalho composto por secretarias, como Governança e Gestão, e autarquias, como Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) e Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). A próxima reunião está prevista para quarta-feira.

A proposta deve ser pela retirada gradual de carroceiros e carrinheiros da área central, com recolhimento e separação do lixo apenas nos galpões de reciclagem. Segundo o DMLU, existem 14 centros de coleta em bairros periféricos da Capital. O prefeito José Fogaça deixou claro que deseja uma solução para o caso ainda em 2007.

Das 200 toneladas de lixo reciclável recolhidas por dia em Porto Alegre, 60 toneladas correspondem ao trabalho dos cerca de 8 mil carroceiros e 6 mil carrinheiros. Desde julho, a prefeitura fornece ajuda de custo para a manutenção dos galpões de reciclagem. Isso aponta para um entendimento de que essa atividade é importante para a cidade, conforme o professor do Centro de Educação Popular, Leonardo Toss, que trabalha com catadores. 'Eles fazem parte do sistema de coleta de lixo porque contribuem para diminuir o que vai para os aterros sanitários', disse.

Como trabalham principalmente no início da manhã e nos finais de tarde, quando o lixo seco é depositado nas calçadas, estabelecem uma competição com os garis do DMLU. Além disso, perturbam o trânsito, provocando polêmica entre motoristas, entidades protetoras dos animais, sociedade civil, prefeitura e associações em defesa dos carroceiros e carrinheiros. A queixa dos motoristas é de que eles não respeitam regras de trânsito, além da falta de cuidado com os cavalos.

O vereador Sebastião Melo, do PMDB, revelou que a prefeitura estaria em fase avançada para construir um galpão de triagem ao lado da ponte que liga Guaíba a Porto Alegre. 'É uma alternativa para o catador que vem das ilhas, mas não oferece solução a quem vem do Partenon e de outros bairros', disse. Um dos coordenadores do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Alex Cardoso, disse que a idéia é antiga, mas que a prefeitura debate uma ação mais ampla. Com os resíduos nos galpões, o trabalhador iria a locais fixos para fazer a separação, evitando o Centro. Cardoso ressaltou que o movimento defende o recolhimento, por eles mesmos, do lixo reciclável das ruas. A coordenadora-geral da Federação das Associações de Reciclagem do RS, Beatriz Aguiar da Silva, ressaltou que o catador recebe em torno de R$ 10,00 por dia. 'O novo formato da prefeitura não pode onerar o trabalhador.'


Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil


RodapéRodapé
|   Home   |   Ajude   |   Sou contra    |   Curiosidades   |   Contate-nos   |   Login   |   FÓRUM   |   Perguntas Freqüentes   |