Home
segunda-feira, 18  de fevereiro de 2008|  Adicionar aos Favoritos  |   Indique a um Amigo        
Foto
AjudeSou ContraCuriosidadesContate-nos
   Quem Somos
   Parceiros
   Reuniões e Eventos
   Contate-nos
Ajude
   Adote um Animal
   Abaixo-Assinados
   Castração
   Denuncie
   Doações para o Abrigo
   Posse Responsável
   Procura Animal Perdido
   Seja Voluntário
Sou Contra
   Animais em Circo
   Atrocidades
   Carroças Tração Animal
   Leishmaniose
   Pesquisas com Animais
   Rodeios
   Rotulagem Animal
   Touradas
Curiosidades
   Dicas e Orientações
   Divertidos
   Emocionantes
   Punições
   Sites/Links
 

 Forum >> Carroças Tração Animal >> RS-Carta pela Defesa Animal na Conferência Mundial
RS-Carta pela Defesa Animal na Conferência MundialResponder sobre RS-Carta pela Defesa Animal na Conferência Mundial
Administrador AB
18/2/2008

Carta de Porto Alegre pela Defesa da Vida Animal é entregue na Conferência Mundial sobre Desenvolvimento de Cidades

As ONGs "Projeto Bicho de Rua", "Gatos e Amigos" e o "Movimento pela Defesa da Vida Animal", participantes da Conferência Mundial sobre Desenvolvimento de Cidades, entregaram a CARTA DE PORTO ALEGRE EM DEFESA DA VIDA ANIMAL, ontem, ao Prefeito José Fogaça, ao Secretário Municipal de Coordenação Política e Governança Local Cézar Busatto, coordenador-geral da conferência, e ao Presidente da Câmara de Municipal Ver. Sebastião Melo, a palestrantes, lideranças comunitárias, participantes e jornalistas.

O objetivo é registrar que o cenário de maus-tratos aos animais continua existindo nas cidades brasileiras, seguindo tendências mundiais a partir do que se aprendeu na troca de experiências com representantes de outras 50 cidades internacionais e nacionais presentes na conferência, de que sem a solidariedade, a cooperação e a união, a partir do ambiente local, não obteremos resultados que produzam respeito, harmonia e equilíbrio entre os seres vivos.


CARTA DE PORTO ALEGRE EM DEFESA DA VIDA ANIMAL

Com a realização deste evento tão relevante para o desenvolvimento e sustentabilidade das cidades e do bem-estar de seus habitantes, nós, preocupados não somente com a qualidade de nossas vidas, mas com a vida em  termos amplos, como bem mais precioso, vimos em prol dos animais ponderar sobre diversas situações cotidianamente enfrentadas nas cidades brasileiras:

CONSCIENTES de que o desenvolvimento de uma cidade passa pela preservação e respeito ao meio-ambiente, onde os animais estão inseridos;

CONSCIENTES de que os animais domésticos ou domesticados, silvestres, nativos ou exóticos têm sido submetidos às mais diversas formas de crueldade: no tráfico ilegal, em experimentos científicos, no extermínio indiscriminado de animais saudáveis nos Centros de Controle de Zoonoses, nos abates clandestinos, nos circos, nos rodeios, na caça, na farra do boi, nas vaquejadas, nas rinhas, na tração animal e no abandono à própria sorte;

CONSCIENTES de que na maior parte das vezes as políticas de bem-estar são especistas, privando desse benefício as demais espécies diferentes da humana, e de que a supervisão humana e a aplicação de métodos preventivos e educativos devem transformar as situações de abandono, de crueldade, de superpopulação e de desrespeito a que estão submetidos os animais;

CONSCIENTES de que o cavalo, um dos mais caros símbolos da altivez gaúcha, tem sido forçado ao moderno ambiente urbano e a alimentação bem diversos daqueles naturais, inadequados à sua anatomia e fisiologia. Obrigados a desenvolver trabalhos superiores às suas forças, cumprindo jornadas excessivas, mal ferrados, sendo chicoteados com instrumentos escolhidos para causar dor, sem alimentação, sem água para matar a sede, culminando por tombar no asfalto por total falência de energia;

CONSCIENTES de que a cruel exclusão social em que vivem os carroceiros não é uma alternativa digna de trabalho, que além da miséria não minimizada, ainda coloca em questão os infindáveis maus-tratos aos cavalos;

CONSCIENTES de que os animais são tutelados pelo Estado (Art. 1º do Decreto 24.645/34), de que o Brasil é co-signatário da Declaração Universal dos Direitos dos Animais, de 27 de janeiro de 1978, e os princípios constitucionais vedam a prática da crueldade aos animais (Art. 255 da Constituição Federal em seu parágrafo 1, inciso VII) e de que esses princípios são reiterados pela Lei Federal dos Crimes Ambientais (9.605/98) e da Lei Federal 6.938/81 que define a Política Nacional do Meio Ambiente;

Nós, representantes das entidades signatárias e voluntários da defesa da vida animal, apresentamos A CARTA DE PORTO ALEGRE EM DEFESA DA VIDA ANIMAL, que diante do que aprendemos no intercâmbio de experiências na Conferência Mundial sobre Desenvolvimento das Cidades, propomos:

Agregar e multiplicar novas ações de transformação e solidariedade, buscando inovar, para que com o capital social que Porto Alegre dispõe, possamos colaborar na solução dos problemas de maus-tratos aos animais, da superpopulação e abandono de cães e gatos e da exploração de cavalos.

0bichoderua.jpg (4849 bytes)

ONG Projeto Bicho de Rua – bichoderua.org.br
p/ Marcia Scarparo Simch

ONG Gatos & Amigos - gatoseamigos.hpg.ig.com.br
p/ Denize Furtado

Movimento pela Defesa da Vida Animal
p/ Lourdes Sprenger e Lena Kurtz

0gatoseamigoshpg.jpg (4849 bytes)

Porto Alegre, 16 de fevereiro de 2008.


RodapéRodapé
|   Home   |   Ajude   |   Sou contra    |   Curiosidades   |   Contate-nos   |   Login   |   FÓRUM   |   Perguntas Freqüentes   |