Home
sábado, 01  de janeiro de 2011|  Adicionar aos Favoritos  |   Indique a um Amigo        
Foto
AjudeSou ContraCuriosidadesContate-nos
   Quem Somos
   Parceiros
   Reuniões e Eventos
   Contate-nos
Ajude
   Adote um Animal
   Abaixo-Assinados
   Castração
   Denuncie
   Doações para o Abrigo
   Posse Responsável
   Procura Animal Perdido
   Seja Voluntário
Sou Contra
   Animais em Circo
   Atrocidades
   Carroças Tração Animal
   Leishmaniose
   Pesquisas com Animais
   Rodeios
   Rotulagem Animal
   Touradas
Curiosidades
   Dicas e Orientações
   Divertidos
   Emocionantes
   Punições
   Sites/Links
 

 Forum >> Leishmaniose >> LEISHMANIOSE NO RIO GRANDE DO SUL
LEISHMANIOSE NO RIO GRANDE DO SULResponder sobre LEISHMANIOSE NO RIO GRANDE DO SUL
Administrador AB
1/1/2011
No final de 2008 ocorreram as primeiras notificações de leishmaniose visceral no Rio Grande do Sul, no município de São Borja.
Uma zoonose até então desconhecida para nossos profissionais de saúde,  característica de regiões tropicais. Além de difícil controle, é uma doença de alto risco que pode levar à óbito.
 
A política de saúde, desenvolvida pelo Governo Federal prioriza o recolhimento e eliminação de cães contaminados.  Essa prática está sendo contestada por especialistas, que afirmam ser o Brasil o único país que adota o canicídio sem, com isso, obter o controle sobre a doença permitindo que tenha se propagado em todo o país. 
 
Ações judiciais estão sendo impetradas contra o Ministério da Saúde (que proibe o tratamento de cães infectados) tanto por organizações de defesa dos direitos dos animais,  entidades de classe de médicos veterinários e pelo Ministério Público Federal.
 
O assunto é complexo e polêmico. O RS precisa de mais informações sobre os aspectos técnicos e jurídicos relacionados à leishmaniose.
 
 
    LEISHMANIOSE NO RIO GRANDE DO SUL
 
O Que Fazer Agora?
 
O que fazer? Como diagnosticar? O tratamento é eficiente? Quais os impedimentos legais para tratar um cão contaminado? Quais as alternativas de prevenção? O que depende do Poder Público, e o que os profissionais podem fazer diante desse novo desafio?
 
 
Oficina de Estudos sobre Leishmanioses
 
Palestrante
 
André Luis Soares da Fonseca Possui graduação em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia (1984), mestrado em imunologia das leishmanioses pela Universidade de São Paulo (1993), graduação em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2001), especialização em Direito Civil e Processual Civil pela Universidade Católica Dom Bosco de Campo Grande (2006). É professor da disciplina de Imunologia na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul desde 1991 (professor adjunto nível 4). Tem experiência na área de Imunologia Básica e Aplicada, com ênfase em clínicas humana e veterinária. Atuação como advogado pro bono em causas ligadas a cidadania, meio ambiente e proteção aos animais. Atualmente está em afastamento integral realizando o doutoramento em Doenças Tropicais no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, sob a orientação da Profa. Dra. Hiro Goto, onde desenvolve tese intitulada Evolução da Leishmaniose Visceral: Raça Canina e Perfil Lipídico.

Programa

  1. Leishmanioses: parasitologia, imunologia e clínica patológica
  2. Epidemiologia das leishmanioses com enfoque em leishmaniose visceral
  3. Diagnóstico de leishmanioses
  4. Tratamento das leishmanioses
  5. Aspectos legais
  6. Mitos e verdades sobre as leishmanioses caninas e humanas
Data
22 de janeiro de 2011
 
Local
Plenarinho da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS
 
Horário
9h às 12h e das 14H às 18h
 
Informações e Inscrições:
Através do e-mail  leish.2011@hotmail.com
As vagas são limitadas
 
Investimento
R$ 25,00 
 
Apoio
Anclivepa Brasil
Anclivepa RS
Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
 
Promoção
 
MOVIMENTO GAÚCHO DE DEFESA ANIMAL



RodapéRodapé
|   Home   |   Ajude   |   Sou contra    |   Curiosidades   |   Contate-nos   |   Login   |   FÓRUM   |   Perguntas Freqüentes   |