Home
segunda-feira, 21  de fevereiro de 2011|  Adicionar aos Favoritos  |   Indique a um Amigo        
Foto
AjudeSou ContraCuriosidadesContate-nos
   Quem Somos
   Parceiros
   Reuniões e Eventos
   Contate-nos
Ajude
   Adote um Animal
   Abaixo-Assinados
   Castração
   Denuncie
   Doações para o Abrigo
   Posse Responsável
   Procura Animal Perdido
   Seja Voluntário
Sou Contra
   Animais em Circo
   Atrocidades
   Carroças Tração Animal
   Leishmaniose
   Pesquisas com Animais
   Rodeios
   Rotulagem Animal
   Touradas
Curiosidades
   Dicas e Orientações
   Divertidos
   Emocionantes
   Punições
   Sites/Links
 

 Forum >> Dicas e Orientações >> Repelente Caseiro de Cintronela
Repelente Caseiro de CintronelaResponder sobre Repelente Caseiro de Cintronela
Administrador AB
21/2/2011
Receitas de Repelente Caseiro de Cintronela

REPELENTE DE CITRONELA

T i n t u r a

200g da planta seca e triturada
1 litro de álcool comum (para uso externo) a 70%
1 vidro de boca larga e escuro, de preferência, com capacidade mínima de 1 litro
1 frasco escuro para acondicionar
1 funil
1 papel filtro
pano branco e limpo para coar e etiquetar

Modo de fazer

Pesar 200g da planta seca e triturada. Colocar num frasco de boca
larga. Despejar 1 litro de álcool a 70% sobre a erva. Tampar o frasco
e cobrir com papel escuro, se o vidro for claro. Deixar em maceração
por no mínimo 8 e no máximo 21 dias, em local seco e protegido da luz.
Agitar 2 vezes diariamente. Coar com o pano branco e completar o
volume para 1 litro, passando mais álcool a 70% sobre o resíduo da
planta. Filtrar em papel filtro e guardar em frasco escuro. Rotular.
Validade: 2 anos



L o ç ã o R e p e l e n t e

Ingredientes para 1 litro de loção (100%):
150ml de glicerina líquida (15%)
150 ml de tintura de Citronela (15%)
350 ml de álcool de cereais (35%)
350 ml de água mineral, destilada ou filtrada (35%)

Modo de fazer

Misturar todos os ingredientes em partes iguais e embalar em
recipiente de cor âmbar.
Passar na pele quando estiver em locais com moscas e mosquitos.

Sobre a Citronela

A citronela é uma planta parecida com capim, originária da Ilha de
Java, na Indonésia, que possui características interessantes, mas
ainda pouco aproveitadas pelo homem.

O vegetal é rico em citronelal e o geraniol, substâncias que dão a ela
um odor cítrico semelhante ao do eucalipto. Devido a isso, pode-se
usá-la como aromatizador e em produtos de perfumaria.

Mas não pára por aí, a citronela possui outra qualidade: o mesmo
cheiro que agrada tanto aos humanos é insuportável aos insetos, como
moscas e mosquitos, característica que faz dela um repelente natural,
além de ecológico, pois espanta os animais ao invés de matá-los.

Segundo a aromaterapia, a citronela também funciona como
antidepressivo, anti-séptico, desodorante, tônico e estimulante.

Há quem pergunte se apenas cultivando a citronela no jardim é possível
usufruir do poder repelente da planta. A resposta é sim, mas com uma
ressalva: para que o resultado seja positivo, é preciso plantar a
citronela no caminho percorrido pelo vento, de forma que leve o aroma
até o local de onde desejamos manter os mosquitos afastados.

Uma outra forma de aproveitar o poder repelente da planta é fazer um
chá com as folhas da planta e usá-lo para limpar o chão, passar em
parapeitos de janelas, etc.

O método industrial de extração do óleo essencial da citronela é
conhecido como “arrasto de vapor”. As folhas são colocadas em um
recipiente e passam a receber vapor d’água constantemente. A água é
aquecida em uma caldeira. Ao passar pelas folhas da citronela, o vapor
leva junto o óleo essencial, separado da água, em seguida, por
condensação.

Já a extração caseira do óleo essencial da citronela não é muito
simples. Segundo informações da Seção de Plantas Aromáticas do
Instituto Agronômico de Campinas (IAC), pode-se colocar as folhas com
um pouco de água num panela de pressão: o vapor que sair de lá também
vai conter óleo essencial.
O problema é recolher este vapor, para daí extrair o óleo.

Uma outra dica é que o óleo essencial da citronela é também solúvel em
álcool. Assim, se misturarmos as folhas ao álcool, naturalmente o óleo
essencial vai ser liberado. Aqui o problema é o seguinte: outras
substâncias presentes na folha, como clorofila e pigmentos, também são
solúveis em álcool e, neste caso, não teríamos o óleo puro como se
obtém por meio do vapor d’água.

Fonte: Blog Planeta Terra

--
"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja
animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."
(Albert Schweitzer)
Vivi Vieri

RodapéRodapé
|   Home   |   Ajude   |   Sou contra    |   Curiosidades   |   Contate-nos   |   Login   |   FÓRUM   |   Perguntas Freqüentes   |